Imagem capa - Adaptando um novo gatinho em casa por Samara Medeiros Fotografia
DicasFotografia lifestyleFotografia pet

Adaptando um novo gatinho em casa

Quando a gente quer aumentar a família de 4 patas sempre bate a insegurança né? “Ah, mas e se o meu gatinho mais velho não aceitar o novo? Será que devo adotar um filhote?”

Hoje vou tentar ajudar um pouco nessa situação trazendo algumas dicas e tentando tirar algumas dúvidas mais comuns.

Algumas das dicas que trago eu testei na minha casa, outras foram sugestão da veterinária dos meus peludos e outras ainda experiência que vejo por ajudar um Abrigo de resgate de animais, o Abrigo Balaio de Gato. Então todas as dicas aqui já foram testadas, mas nem todas irão funcionar para o seu gatinho, o ideal é realmente ir tentando e ver o que funciona melhor no seu caso, já que cada gatinho tem uma personalidade bem diferente do outro!


gato cinza embaixo de cobertas quase da mesma cor dele, olhando para a câmera


A primeira dica para introduzir um novo animal em casa é paciência. Não é algo rápido e que irá acontecer de um dia para o outro – até pode acontecer, mas não é a regra. Então muita paciência e calma na hora da apresentação. O ideal é escolher uma época que você estará em casa pelo maior tempo possível, sem visitas, sem festas e outros fatores que tirem a rotina à qual seu peludo já está acostumado.

Antes de tudo, a chegada do gatinho em casa é muito relevante. Quando você chegar com o novo gatinho, seu gato antigo pode ficar com ciúmes e bravo com você. Recusar seus carinhos, fazer xixi nas suas coisas. Pedir para uma pessoa de fora entrar com o gatinho pode ser uma boa coisa. Enquanto isso você fica dando atenção ao gatinho residente. Aí ele vai perceber que não foi você quem apareceu com aquele “invasor” e talvez não fique tão bravo com você!


gato amarelo em cima da janela olhando para a câmera


O novo gatinho deve ficar separado, em um primeiro momento. Principalmente se você resgatou da rua e ele ainda não fez exames, é fundamental que ele não tenha contato com os outros animais da casa, pois pode trazer doenças da rua para eles. Então separe um quartinho, um banheiro, ou qualquer outro cômodo, para deixar o novo integrante da família nos primeiros dias. Mesmo se ele já fez todos os exames, essa separação é boa para que o gatinho de casa não se sinta ameaçado com um “invasor” no território dele e também porque é muito estressante para o novo gatinho essa mudança repentina. Conhecer apenas um local pequeno, a princípio, vai ajuda-lo a se adaptar mais facilmente. Separe uma caminha, caixa de areia e potinho de água e comida nesse ambiente para ele, além de alguns brinquedinhos e lembre-se de sempre ir visita-lo, fazer carinho, brincar com ele, para que ele já comece a se sentir em casa e, principalmente, seguro.


foto em preto e branco de uma gatinha tigrada deitada e olhando para a câmera


Para começar as apresentações, é bom começar com o cheiro. Passe um paninho na cabeça de cada gato e coloque embaixo do pote de ração do outro. Ou seja, passe o pano na cabeça do seu gato e coloque embaixo da comida do novo gatinho e vice versa. Isso é bom porque os gatos têm glândulas de hormônio na área da cabeça e boca e eles usam esse hormônio para marcar território. Passando o cheiro de um para o outro e colocando perto da ração, eles irão sentir o cheiro do outro gato em um momento agradável – a hora da comida –  e vão começar a associar esse cheiro com uma sensação boa, de comer. Quando eles já conhecerem o cheiro um do outro, ainda com a porta fechada, coloque os potes de ração próximos para eles comerem ao mesmo tempo e sentindo melhor o cheiro um do outro. Se eles ficarem na porta silvando um para o outro, não dê bronca, distraia eles com outras coisas para que se acalmem naturalmente.


gata cinza embaixo do sofá e em cima de um tapete da mesma cor dela, mordendo um brinquedo de penas e encarando a camêra


Depois é válido trocar eles de lugar. Deixe o novo gatinho passear pela casa, enquanto o antigo fica no quarto onde o novo gatinho estava. Dessa forma eles irão se acostumar mais ainda com o cheiro um do outro. Comece essa troca por apenas poucos minutos e com o tempo vá aumentando. Se algum dos gatos se estressar e começar a rosnar, não force, tire-o de lá e tente novamente outro dia!

Depois vale deixar uma fresta na porta de onde o novo gatinho está e deixar eles se verem e se cheirarem pela fresta. Provavelmente os dois irão se estranhar em um primeiro momento, silvar um pouco, mas isso é totalmente normal. Deixe por pouco tempo essa fresta e depois feche a porta novamente, sem forçar uma aproximação. Vale colocar, novamente, os potes de comida (principalmente se for o sachê favorito do seu gatinho) perto da fresta, para eles comerem se vendo dessa vez, para mostrar que o novo gatinho não é uma ameaça, que o gatinho antigo não vai perder nenhum dos privilégios que já tem com o novo integrante!


gato persa himalaio sentado em um chão de madeira


O ideal é ir aproximando as tigelas gradualmente, à medida que todos os gatinhos se sintam confortáveis. O ritmo de aproximação deve seguir o gatinho mais assustado ou ansioso.

Depois de alguns dias se observando pela fresta e trocando de ambiente, vale deixar a porta aberta para eles se aproximarem de verdade. Pode ser que nesse momento, após um estranhamento inicial, eles já se aceitem. Pode ser que não. Então nos primeiros dias é bom deixar eles no mesmo ambiente, mas sempre com alguém observando de perto! Mesmo que aparentemente esteja tudo tranquilo, essa supervisão é importantíssima! Com o passar dos dias, o tempo de contato pode ir aumentando gradualmente minutos a minutos.


gata escaminha dourada e marrom deitada em algumas pedras e olhando para o lado com pose imponente


Os gatos tem uma sensibilidade incrível ao nosso tom de voz! Então é muito importante que sempre converse tranquilamente com os gatinhos enquanto faz a apresentação. Elogie, faça carinho. Isso vai ajuda-los a perceber que estão fazendo a coisa certa. Se houver briga, separar imediatamente – fazendo algum barulho alto para distraí-los – e não tentar aproximação novamente naquele dia. Só não tente separar a briga pegando um dos gatos, pois ele pode ficar agressivo com você. Esse comportamento é conhecido como “agressividade redirecionada”. Ele irá atacar o que estiver perto. Se você não conseguir separa-los sem pegar, pegue o gato que estiver mais acostumado com você, usando uma toalha, caso ele ataque.


gata cinza e dourada deitada na cama com uma varinha de harry potter perto dela


A partir daí é só aproveitar que seu gatinho ganhou um irmãozinho para abraçar, dormir juntinho e brincar! Mas lembre-se, esse processo pode durar dias ou até semanas. Aqui em casa foram 2 semanas e considerei um tempo relativamente curto. Pode levar até alguns meses, dependendo do temperamento dos gatinhos. Você sabe que aquela etapa foi vencida quando os gatinhos estiverem confortáveis com a situação, sem ficar acuados, sem rosnar ou silvar. Aí é hora de passar para a próxima etapa.

Em alguns casos, o Feliway pode ajudar. Feliway é um análogo sintético do hormônio que os gatos têm na face, que mencionei mais pra cima no texto. Ele é usado para acalmar os gatinhos. Podeser usado ligado na tomada ou em spray. Costuma ajudar muito, quando a apresentação é mais “dificultosa”.


gato cinza dentro de uma sacola vermelha com as pupilas dilatadas enquanto olha para algo acima que não aparece na foto


Algumas pessoas acham que adotar um segundo gatinho filhote vai facilitar a apresentação, mas nem sempre isso é verdade. Vai depender muito do temperamento do gatinho antigo e do novo. Se o gato residente não é muito chegado a brincar, um filhote não será a melhor pedida, pois são muito mais ativos e gostam de brincar o tempo todo, o que pode acabar perturbando o outro gato, que não gosta tanto. Então nesse caso um adulto será o ideal, pois já são mais tranquilos – embora isso não seja regra, por isso é tão importante a conversa com a pessoa que irá doar ou vender o novo gatinho.

Outro fator que pode ajudar ou atrapalhar é a castração. Se o gato antigo não for castrado, faz com que ele seja muito mais territorialista, o que irá fazer com que a adaptação do novo seja mais complicada. Da mesma forma, se o novo gato já for adulto não castrado, pode querer virar o “dono” do lugar e criar confusão. Então o ideal é sempre castrar seu gatinho – o que também ajuda a reduzir marcação de território, os famosos “xixis fora do lugar”.


foto em preto e branco de um gato peludo em cima da cama, com uma pata pendurada para fora, visto de baixo para cima


Para adaptações mais difíceis, algumas pessoas sugerem passar essência de baunilha em todos os gatos. Isso fará com que o “cheiro” deles seja um pouco neutralizado, facilitando a aceitação. Dar florais pode ajudar também. Existem alguns para “adaptação de um novo animal”. O floral pode ser colocado na água, mas tem um tempo de ação mais longo, não é muito imediato.

Alguns estudos já mostraram que muitos gatos em um mesmo ambiente pode ser nocivo à saúde deles. Obviamente que quanto maior o ambiente, você pode acrescentar mais gatinhos sem muitos prejuízos para eles. Mas é um fato estabelecido que eles tendem a ficar mais estressados, quanto mais gatos há. Então esse também é um fator que pode atrapalhar a apresentação de um novo gatinho e demandar mais paciência por parte do tutor.


gata com pelagem frajola, preto e branco, deitada na cama com a cabeça apoiada na pata, olhando para a câmera


É muito importante pensar bem se você vai ter paciência para esperar todo esse tempo de adaptação. Pode não dar certo imediatamente e ter que esperar um tempo mais longo do que você previu. O que não é legal é desistir porque está difícil e devolver o gatinho para o abrigo, em caso de adoção. Se for esse o caso, o melhor é não levar um novo gatinho e passar a “promessa” de um lar com muito amor que vai acabar não acontecendo. É muito ruim para o gatinho ganhar um lar e depois perder novamente.

Então é isso pessoal! É trabalhoso, mas a recompensa que vem depois vale qualquer trabalho que tenhamos nesse momento inicial! Ver seu gatinho com um amigo, dormindo junto, brincando, não tem preço!


dois irmãos gatos, uma cinza e o outro amarelo, deitados em cima da cama com as patas se tocando


Qualquer dúvida, escrevam aí nos comentários! Espero que esse texto possa ajudar muita gente que quer um novo gatinho em casa, mas tem dúvidas de como apresentá-lo ao gatinho residente!