Imagem capa - Coisas que você deve saber antes de ter um bulldog francês por Samara Medeiros Fotografia
DicasFotografia lifestyleFotografia pet

Coisas que você deve saber antes de ter um bulldog francês

A gente sabe que cada raça de cachorro – ou os sem raça definida, nossos queridos vira-latinhas – tem sua particularidade, uma ou mais características que os tornam únicos e apaixonantes! Hoje vamos dar início a uma série de posts falando um pouquinho sobre algumas das raças mais queridinhas do pessoal. É muito importante pesquisar e ter certeza que a raça que você deseja é indicada para seu estilo de vida. As modificações genéticas - por meio da seleção artificial - realizadas pelos humanos, levaram a diferentes características entre as raças e se algumas são muito ativas, outras não podem praticar atividades de grande intensidade. Umas precisam de mais espaço, outras menos. Algumas não são muito indicadas para crianças, outras são super dóceis. Então fazendo uma pesquisa antes de adquirir determinada raça, minimiza as chances de dar errado e evita o grande número de abandono de animais de raça que temos visto por aí!

Para abrir a série, vamos falar sobre os fofos Bulldogs Franceses. E para nos ajudar nesse post, convidamos a querida Adriana Marques, responsável pelo Canil Triomphe, aqui em Belo Horizonte. Então se você está pensando em ter um cachorrinho dessa raça, esse é o seu lugar! Vamos saber um pouquinho mais sobre esses pequenos peludos?


Cachorro da raça bulldog francês, pirata, deitada com as orelhas de pé e a língua para fora.


“Se você está pensando em adquirir um Bulldog Francês saiba que eles são cães extremamente carentes e apegados aos seus donos, andam pela casa atrás de você, sem qualquer interesse. Por falar em interesse…, eles não podem ver algo dando sopa que já querem pegar, são curiosos e bem bagunceiros!” Como a Adriana falou, eles adoram o contato com seu humano. Então não é muito indicado manter os animais dessa raça ao ar livre, no quintal. Eles vivem muito bem em apartamento, por ficarem mais protegidos de mudanças climáticas e com temperaturas mais amenas. Eles também não acham muito bom ficar o dia inteiro sozinhos. Então caso você se encontre nessa situação, essa pode não ser a melhor raça para você no momento. Em geral, animais da raça que ficam muito sozinhos ou em ambientes sem muitos brinquedos, tendem a destruir mais as coisas. Mantendo-o sempre ocupado, essa possibilidade diminui bastante!


Cachorro bulldog francês sentado com as orelhas em pé, boca fechada e olhando para a câmera.


Outra característica que a Adriana relatou é que “têm energia de sobra, por isso é extremamente importante passeios e brincadeiras de média intensidade. Lembrando que, por serem cães braquicefálicos, – ou seja, eles têm o focinho curto – não podem praticar exercícios de grande intensidade, sendo melhor que o tutor dê preferência por passeios curtos na parte da manhã ou à noite.” Como eles têm o focinho curto e são bem pesados para a sua estatura, a troca de calor deles não é muito eficiente, então submetê-los a temperaturas muito altas pode levar até a desmaios por hipertermia. Outra parte interessante dos passeios é deixar que socializem com outros animais, desde pequenos. Isso ajuda com que, no futuro, uma socialização com outro cão – da mesma raça ou de outra – seja mais fácil! Bulldogs que não têm contato com outros animais tendem a ter uma adaptação mais dificultosa depois de adultos.

Outro ponto muito relevante e que também tem relação com a alta densidade deles, ou seja, serem pesados para sua estatura, são animais que têm predisposição a problemas nas articulações. Principalmente joelho, bacia e coluna, então um piso antiderrapante em casa ajuda a evitar problemas futuros, como luxação de patela, hérnia na coluna e displasia de bacia.

Tente também não brincar com eles de brincadeiras nas quais eles fiquem muito tempo de pé, apoiados apenas nas duas patas traseiras. Como a coluna deles é mais frágil, ficar de pé em duas patas pode acabar sendo prejudicial no futuro.


Cachorro da raça bulldog francês tigrado, de pé fazendo pose e olhando para a frente, concentrado.


Segundo a Adriana: “Provavelmente você já ouviu falar que eles são como porquinhos. É, essa fama não é a toa! Além de bagunceiros, e dorminhocos, eles roncam muiiiito! Mas é tão bom dormir com eles, que até isso a gente esquece. Mas os gases… ahh, esses não. São terríveis! Mas muitas das vezes conseguimos controlar apenas com a alimentação certa. São cães que quase não latem, mas quando latem, vem um ruído rouco e muito simpático. E, na maioria das vezes, somente quando algum estranho se aproxima. Mais um motivo pelo qual são ótimos para serem criados em apartamento”.



Outro ponto importante de ressaltar são as rugas. Como eles têm muitas dobrinhas no focinho, para que não tenham problema de pele, a higienização frequente se faz necessária. A limpeza pode ser feita com soro fisiológico e algodão ou gaze ou com produto próprio para esse fim. Só precisam estar atentos para secar bem após limpar, pois a umidade no local pode trazer problemas futuros com fungos. Também é bom limpar os ouvidos para evitar otite, que é relativamente comum na raça.

É uma raça que tem muita dermatite também... lembram das ruguinhas? Então quanto menos banho melhor, pois evita a umidade. Ou então tente dar banho a seco para evitar que a umidade frequente desencadeie as doenças de pele.


Cachorro da raça bulldog francês cor creme deitada com as orelhas de pé e a língua para fora em um sorrisão.


Por último, a Adriana alerta… “ahhh… e se acostume com pelos! Pois ele estará por toda parte da sua casa, inclusive nas suas roupas. São tantas particularidades desses serezinhos… só tendo o seu pra saber o quanto amor eles nos trazem! Se vale a pena ter um? Eu tenho 10!”

Então gente! Se você está pensando em ter um frenchie – como são carinhosamente chamados – é importante ter todo o conhecimento possível e que esteja preparado para ter um desses peludinhos! Está preparado? Então se joga, porque vai se apaixonar!


Filhote de cachorro da raça bulldog francês cor creme deitada em um cestinho coberto com uma manta cinza e um chapeuzinho de crochê na cabeça.



Estrelando as fotos na ordem que aparecem, Amélia, Luan, Chico, Cacau e Maya, além de um dos bebês fofíssimos da Maya.